4ª edição do inRes – Acelerador de Negócios do Programa Carnegie Mellon Portugal

Empreendedores portugueses desenvolvem modelo de negócio nos Estados Unidos

Versão para impressão
Na sequência da participação na edição de 2017 do inRes –  Entrepreneurship in Residence – iniciativa de aceleração de negócios do Programa Carnegie Mellon Portugal (CMU Portugal) -, três equipas de empreendedores portugueses estão de partida para os Estados Unidos da América para participarem num programa de imersão com a duração de sete semanas, entre 7 de setembro e 29 de outubro. Caterpillar Math, Connect Robotics e WESENSS são as equipas participantes nesta quarta edição do programa InRes.

Financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia, o inRes dá agora a oportunidade às equipas participantes de aproveitarem durante seis semanas, no campus de Pittsburgh, todas as valências do Swartz Center for Entrepeneurship. Segue-se uma semana no campus de Silicon Valley da Carnegie Mellon University (CMU), para uma fase intensiva de validação dos modelos de negócio, afinação de soluções tecnológicas e contatos com empresas e investidores.

Para a WESENSS, “a oportunidade de contatar pessoalmente, numa base diária, diferentes stakeholders e estabelecer com eles uma relação próxima e de confiança, é algo que mais nenhum programa proporciona. Esperamos regressar do programa inRes com um melhor entendimento das expetativas e necessidades dos stakeholders e com a definição de um modelo de negócio e estratégia de mercado sustentáveis.” Rui Rosas e Duarte Dias, os representantes da equipa, estão a trabalhar no desenvolvimento de uma solução que permite a monitorização dos sinais vitais dos profissionais de primeira resposta, como bombeiros, socorristas e polícias, permitindo o aumento da sua eficiência operacional e a redução de riscos de saúde.

Juntamente com a WESENSS, também a Caterpillar Math – jogos digitais que pretendem desenvolver as competências matemáticas – e a Connect Robotics – serviço de entregas com drones, que inclui tecnologia de gestão autónoma de tráfego aéreo para drones -, participaram já na primeira fase do inRes que decorreu no Porto e em Lisboa, entre os meses de junho a agosto, e na qual se realizaram diversos workshops dirigidos por uma equipa de mentores experientes.

Para João Claro, diretor nacional do Programa CMU Portugal e coordenador do inRes, “com o seu formato único e inovador em Portugal, o inRes permite às equipas o contato com especialistas, mentores, clientes e investidores, o que muitas vezes é vital para o sucesso, e essa é uma vantagem que todos os participantes têm reconhecido.”

Comentários

comentários

Artigos relacionados