A Seedrs em Portugal

O ano de 2016 foi um ano record para a Seedrs. Este ano ajudou a cimentar a nossa posição como a plataforma de equity crowdfunding líder a nível Europeu, mas também a colocar o equity crowdfunding cada vez mais como uma das principais opções para levantamento de capital para startups.

Versão para impressão
Se em 2013, um ano depois do lançamento da Seedrs, o equity crowdfunding era visto como uma forma alternativa de levantar capital, completamente fora das opções normais para startups, hoje é efetivamente uma das primeiras opções para levantamento de capital. Bom exemplo disso é o facto de sermos hoje o investidor mais ativo no Reino Unido em empresas privadas, com quase 160 operações efetuadas durante o ano de 2016, para um total de quase 100 milhões de euros investidos. Estes números devem-se aos nossos investidores, oriundos de 65 países, que fizeram ao longo do ano passado cerca de 45 mil investimentos, contribuindo assim, significativamente, para o total de mais de 200 milhões de euros investidos em mais de 450 campanhas, desde o lançamento da Seedrs há 4 anos e meio. De realçar que cerca de 175 milhões de euros foram investidos nos últimos 2 anos, o que demonstra bem o crescimento que temos tido recentemente. 2016 foi também um ano de crescimento orgânico. Abrimos escritórios em Berlim e Amesterdão, que assim se juntaram aos nossos escritórios de Londres, Lisboa e Nova Iorque. Também duplicámos o número de colaboradores, que agora são mais de 60, oriundos de 15 nacionalidades.

Este crescimento foi também visível nas nossas operações em Portugal. Embora seja um mercado mais pequeno e com menos maturidade na adoção do equity crowdfunding, a realidade é que durante o ano transato tivemos diversas empresas portuguesas a levantar capital, casos da Climber Hotel, Agroop, eSolidar e Tradiio que, em conjunto, totalizaram mais de 1 milhão de euros investidos. Adicionalmente, neste momento, encontram-se ainda outras duas empresas portuguesas na Seedrs a levantar mais de 700 mil euros. Acreditamos que em 2017 será possível passar a barreira dos 3 milhões de euros investidos em startups portuguesas via Seedrs. Para tal, contribuirá a recente parceria com quatro das principais incubadoras de Portugal (Startup Lisboa, Startup Braga, UPTEC e IPN) e que nos permitirá partilhar parte da nossa experiência e conhecimento sobre financiamento via equity crowdfunding de uma forma mais próxima com os empreendedores, bem como a possibilidade que os mesmos terão de viajarem até Londres e contactarem diretamente com investidores estrangeiros num dos eventos que criamos propositadamente para o efeito. Com a realização de uma campanha de equity crowdfunding via Seedrs, as empresas, para além do levantamento de capital, ganham visibilidade e uma potencial rede de embaixadores/parceiros para a sua marca, bem como a também recente criação do Alumni Club, que confere um conjunto de benefícios, serviços e produtos para empresas financiadas via Seedrs. Estas razões fazem-nos acreditar que 2017 será também um ano de crescimento para as startups já apoiadas, sustentando assim o equity crowdfunding como forma de financiamento para startups em Portugal.

Comentários

comentários

Artigos relacionados