Med Summit 2017

Bases de dados de Patentes: Informação valiosa

Se tem uma invenção que quer patentear, mas não sabe se alguém já teve a mesma ideia, é fundamental consultar a informação tecnológica disponível. As bases de dados de patentes são um recurso precioso para descobrir se a sua invenção é única, a par da literatura especializada.

Acredita Portugal

Versão para impressão
O intuito é evitar patentear invenções já revindicadas por terceiros com um pedido de patente anterior ou já divulgado ao público.

Paralelamente, se realizar esta pesquisa evitará processos de investigação e o desenvolvimento de invenções já conhecidas e que já estão protegidas por um determinado direito industrial.

Existem várias bases de dados disponíveis na internet, muitas de acesso livre (outras mediante pagamento). Consulte esta lista de possíveis acessos:

BASES DE DADOS DE ACESSO PÚBLICO E GRATUITO

  • Serviços Online INPI (Pesquisas)

www.marcasepatentes.pt

Serviço de pesquisa de patentes do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). Permite o acesso aos documentos de patentes publicados em Portugal. Os utilizadores podem efetuar pesquisas por número de processo, por requerente, conteúdo do título ou resumo.

Não permite o acesso ao texto integral dos pedidos depositados em Portugal, apenas uma síntese do processo, texto do resumo, classificação internacional, fases jurídicas, situação de taxas, países designados, epigrafe em língua estrangeira, bem como uma remissão direta para a visualização do texto através do Espacenet.

  • Invenes

www.oepm.es

Base de dados do Instituto Espanhol de Marcas e Patentes (OEPM). Permite o acesso aos documentos de patentes publicados em Espanha. Subdivide-se em quatro

pesquisas possíveis: patentes e modelos de utilidade; patentes, modelos de utilidade e desenhos industriais ibero-americanos; desenhos e modelos industriais; pesquisa através da Classificação de Locarno.

  • EUIPO

euipo.europa.eu/ohimportal/pt/databases

Base de dados do Instituto da Propriedade Intelectual da União Europeia (EUIPO) com acesso a informação sobre marcas, desenhos e modelos, assim como sobre os seus titulares, acórdãos jurídicos, classificação e termos para a indicação de produtos em cada língua oficial da UE, entre outras.

  • Espacenet

ep.espacenet.com

Base de dados do Instituto Europeu de Patentes (EPO: www.epo.org).

Contém mais de 90 milhões de documentos (pedidos de patente, patentes já concedidas e relatórios de pesquisa) de 71 países. Disponível online desde, pode ser utilizada por especialistas ou por profissionais não especializados em propriedade industrial, uma vez que a pesquisa é fácil e intuitiva através da disponibilização de cerca de dez campos de pesquisa. Permite a pesquisa nos dados bibliográficos dos documentos de patente, bem como o acesso ao texto completo de grande parte destes documentos, inclusive de pedidos depositados no Brasil.

  • Latipat – Espacenet

lp.espacenet.com

Base de dados promovida pelo EPO que permite o acesso a documentos de patentes processados por diferentes organismos de países da América Latina e Espanha: Brasil, Argentina, México, Cuba, Chile, Uruguai, Peru, entre outros… Neste portal é disponibilizado o acesso a uma base de dados com informações bibliográficas e imagens de documentos de patente. É resultado de um trabalho conjunto entre a Organização Mundial da Propriedade Intelectual (WIPO), EPO, OEPM e de mais de 18 Institutos de Patentes da América Latina.

  • PatentScope

www.wipo.int/pctdb/en/index.jsp

Base de dados da OMPI/WIPO com pedidos via Tratado de Cooperação de Patentes (PCT). Poderá aceder a mais de um milhão e seiscentos mil documentos de pedidos de patente internacional publicados desde 1978. Permite uma pesquisa por palavras-chave ou mediante determinados critérios como por exemplo o nome do(s) inventor(es), data de publicação, nome do titular do pedido, título em inglês, entre outros. Este portal permite elaborar gráficos com os resultados das buscas e disponibiliza o acesso a uma base que contém pedidos de patente depositados via PCT, além de coleções de muitos países, inclusive de pedidos depositados no Brasil.

  • Depatisnet

depatisnet.dpma.de

Base de dados do Instituto Alemão de Patentes. Contém mais de 20 milhões de documentos de 10 países e 30 campos de pesquisa. Permite aceder ao texto completo em alguns acervos.

  • Free patents on line

www.freepatentsonline.com

Sistema que consulta de maneira conjunta os acervos de patentes dos EUA, OEP, Japão e países do PCT.

  • The Lens

www.lens.org/lens

Sistema que consulta de maneira conjunta os acervos de patentes dos EUA, OEP, países do PCT e Austrália. O ‘The Lens’ tem como objetivo albergar mais de 95% da informação de patentes a nível mundial nos próximos anos, relacionando-a com literatura académica.

  • Prior Smart

www.priorsmart.com

Sistema que consulta de maneira conjunta os servidores ou bases de dados: ESPACENET, LATIPAT, USAPAT, PATENTSCOPE, Google e LENS.

  • JPO Search

www.jpo.go.ip

Base de dados do Instituto Japonês de Patentes que oferece um tradutor automático de patentes japonesas.

  • USPTO – United States Patent and Trademark Office

patft.uspto.gov

Base de dados oficial do Instituto Americano de Marcas e Patentes (United States Patent and Trademark Office – USPTO) que reúne mais de oito milhões de documentos. O acesso é livre e permite fazer pesquisas de pedidos de patente ou de patentes já concedidas, através dos mais diversos parâmetros de pesquisa. A base possibilita a busca no texto completo das patentes concedidas desde 1976 e o acesso às imagens dos documentos desde 1790.

  • Google Patents

www.google.com/patents

O mais conhecido motor de busca do mundo também possui uma funcionalidade de busca de pedidos de patente e patentes já concedidas, desde 1790 até aos dias de hoje. Contudo, está limitado a patentes depositadas no USPTO. Permite a pesquisa em texto integral ou por parâmetros como número, inventor e data de depósito, mas também existe a ferramenta ‘Localizador do Estado da Técnica’. Através desta consegue-se a identificação de expressões-chave do texto da patente e combiná-las numa consulta de pesquisa com resultados do ‘Google Patent Search’, ‘Google Scholar’, ‘Google Books’ e da restante web.

  

BASES DE DADOS DE ACESSO PRIVADO (MEDIANTE PAGAMENTO)

  • Derwent World Patent Index

ip.thomsonreuters.com/product/derwent-world-patents-index

Base de dados com informação de patentes de mais de 40 países. Atualmente é propriedade do Clarivate Analytics. Aqui também se integra o anterior Thomson Pharma – sistema de procura de patentes clínicas, farmacêuticas e toxicologia. A procura também pode incluir sequências de ADN.

  • Thomson Innovation

www.thomsoninnovation.com

Sistema integrado de procura de patentes, que inclui os acervos que se indicam no Delphion and Aureka no acesso a publicações científicas. É propriedade do grupo Thomson.

  • TotalPatent One™

law.lexisnexis.com/total-patent

Sistema integrado da empresa LEXISNEXIS. Os acervos são um pouco diferentes dos Thomson Innovation.

  • SumoBrain

www.sumobrain.com

Sistema integrado de consulta, inclui textos completos. Desenvolvido pela mesma equipa do serviço gratuito Free Patents online.

  • STN

www.stn-international.de

Informação sobre produtos químicos (formulação). Também revistas. Patentes de medicamentos. Informa acerca das caducidades. Acesso a mais de 220 bases de dados.

  • Outras Bases de Dados (áreas específicas):

            – Biosis (Biologia): wokinfo.com/products_tools/specialized/bci

– Embase (Biomedicina e farmacologia): www.embase.com

– FSTA (Tecnologia alimentar): www.foodinfo.ifis.org/fsta

– Engineering Village (Engenharia e Tecnologia): http://www.engineeringvillage.com

– INSPEC (Física, Engenharia e Eletrónica): www.theiet.org/inspec

– IEEE & IET (Engenharia): innovate.ieee.org/subscription-options/iel

– American Institute of Physics (Física): www.aip.org

 

APLICAÇÕES DE GESTÃO DE PATENTES

  • EPOline – Register Plus

register.epo.org/regviewer

Serviço sobre bases de dados de acesso livre, que permite verificar o estado legal de pedidos de patente europeus e internacionais publicados, não só na fase de concessão, mas também durante as fases nacionais de cada pedido. Pode-se utilizar uma pesquisa simples com apenas uma palavra ou frase ou uma pesquisa avançada, empregando mais do que um critério de pesquisa.

  • Anaqua Patent Docketing Software

www.anaqua.com/index.html

O software Anaqua ajuda a transformar a propriedade intelectual numa vantagem competitiva, unificando a análise com ferramentas críticas, fluxo de trabalho, dados e documentos num ambiente eficiente e inteligente.

 

SERVIÇOS DE RATING E DE ANÁLISE QUALITATIVA DE PATENTES

  • 1790 Analytics

www.1790analytics.com 

  • IP Checkups

http://www.ipcheckups.com 

  • Intellectual Asset Management Magazine

www.iam-magazine.com 

  • Pantros IP: Patent Factor Index Report

www.pantrosip.com

  • Taeus

www.taeus.com

Apesar de fundamentais, as pesquisas em bases de dados de patentes podem não ser suficientes por si. Há que procurar também produção científica (artigos científicos, apresentações em conferências, etc) em outras fontes, para assegurar com maior exatidão e segurança o depósito, registo e aprovação do pedido de patente.

Deixamos aqui nota de mais alguns motores de busca e websites relevantes:

– Ask: www.ask.com

– Dictionary: dictionary.reference.com

– Iate: iate.europa.eu

– IBoogie: www.iboogie.com

– Metacrawler: www.metacrawler.com

– PubMed: www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed

– Scopus: www.scopus.com

– British Library (acesso a mais de 20 mil jornais científicos): www.bl.uk

– Yahoo: www.yahoo.com 

Comentários

comentários

Premio Startup Montenegro 2017

Artigos relacionados