Porquê certificar profissionais em inovação?

Inovação já se faz em Portugal e bem. É preciso agora reconhecer as competências que permitem “fazer acontecer” de forma disciplinada e com resultados mensuráveis

Versão para impressão
A palavra Inovação tem vindo a ser uma “buzzword” nos discursos de empresas líderes mundiais e nos últimos anos observamos também grandes estruturas nacionais a incorporá-la nas suas estratégias corporativas e naquilo que consideram ser os seus valores primordiais. Efetivamente, uma organização sem inovação, estagna e arrisca-se a “morrer na praia”, como todos sabemos.

Importa então perceber porque é que muitas empresas que até têm estruturas orientadas para a inovação, não atingem os resultados esperados. Neste ponto, podemos referir o estado “inovador moderado” onde Portugal uma vez mais se posicionou no Innovation Union Scoreboard em 2015. Ano após ano, observamos que Portugal tem condições, recursos e processos para fazer acontecer inovação, mas não atinge os resultados esperados.

Nos tempos que correm, em que todos os dias as Organizações se deparam com a entrada de novos players que lhes ameaçam “roubar” cota de mercado, a não obtenção de resultados não é uma hipótese. Inovar significa obter valor, de forma diferenciadora. Significa concretizar algo que o mercado reconhece como de alto valor acrescentado. Significa posicionar-se à frente da concorrência. Significa fazer melhor internamente para aumentar a eficiência, produtividade e ganhar competitividade. Significa fazer acontecer!

Para fazer acontecer, existem os profissionais que há anos tentam fazer com que a inovação tenha um significado dentro da sua Organização. Uns têm sido ouvidos pela sua gestão de topo, outros nem por isso. Mas vão tentando ano após ano, pois sabem que é uma premissa essencial para a sobrevivência das suas Organizações.

Adicionalmente, para fazer acontecer há também que implementar processos estruturados e comprovados. Processos que são testados e já conduziram ao crescimento de muitas Organizações. Processos como o framework do IMBOK – Innovation Management Body of Knowledge do Global Innovation Management Institute (GIMI) que auxiliam não só no “fazer acontecer” como permitem o reconhecimento dos profissionais com essas competências através de certificação.

Foi por reconhecer a mais valia desse framework e do processo de certificação para os profissionais, que a WINNING Scientific Management formalizou uma parceria com o GIMI tornando-se um dos principais Certified Training Providers europeus para ministrar o único curso de preparação para a certificação em Inovação agora existente em Portugal.

O curso, que já vai na 2ª edição, está desenhado para a aplicação detalhada de exercícios com templates, resolução de problemas, onde são postas em prática as diferentes técnicas que permitam o aumento da probabilidade de sucesso de implementação de estratégias de inovação. É um programa que vai permitir que as empresas dos mais variados sectores tenham agora a oportunidade de preparar os seus colaboradores para que estes, no seu dia-a-dia, apliquem ferramentas e metodologias reconhecidas internacionalmente que lhes permitem, de uma forma mais célere, identificar e alavancar ideias com potencial e transformá-las em soluções com sucesso no mercado.

Quisemos trazer este programa para Portugal porque queremos proporcionar aos vários profissionais que já trabalham em inovação em Portugal, ferramentas de trabalho utilizadas globalmente, mas também que vejam o seu trabalho nesta área reconhecido além-fronteiras, de modo a poder proporcionar-lhes novas projeções de carreira.

Esta profissionalização é fundamental para que os colaboradores possam contribuir ainda com mais valor na competitividade das suas Organizações. É portanto uma relação win-win, para o profissional e para a Organização que investe no Profissional

A próxima edição do curso de preparação e Certificação Profissional em Inovação (Certified Innovation Manager – nível 1) vai decorrer, em Lisboa, nos dias 22, 23 e 24 de março.

// www.winning.pt

Comentários

comentários

Artigos relacionados

Burlas em vendas online. Uso abusivo de dados de cartões de crédito. Phishing bancário. Criação de perfis falsos em redes sociais. Acessos ilegítimos a sistemas informáticos. Também os recentes ataques informáticos que ocorreram um pouco por todo o mundo confirmam que o cibercrime veio para ficar e será cada vez mais sofisticado, colocando este tema na agenda de governos, empresas e instituições.