Cientistas procuram a solução para recuperar fertilidade

Investigação pretende ajudar mulheres que tiveram cancro

Versão para impressão
Alguns cientistas dos Estados Unidos criaram ovários artificiais férteis. A inovação foi alcançada através de uma impressora 3D. Esta é uma técnica que poderá estar disponível para desenvolver a fertilidade em mulheres afetadas por cancro.

Os ovários têm como nome bioprostéticos e ajudam a que a fertilidade se desenvolva e produza hormonas para mulheres que tiveram que fazer tratamentos para o cancro adulto ou que já sobrevieram a cancro infantil.

Monica Laronda, coautora do estudo, diz que o “que acontece com algumas das nossas doentes de cancro é que os ovários não funcionam a um nível suficiente e precisam de terapias hormonais de substituição”.

Esta inovação foi testada em ratos de laboratório inférteis para ver qual era o resultado. O material é um hidrogel biológico gelatinoso feito de colagénio, uma proteína que está presente nos tecidos humanos.

O professor de ciência dos materiais e engenharia, Ramille Shah, revela que na maioria o hidrogel é fraco e “como é composto principalmente por água, muitas vezes colapsa”.

O ovário artificial aloja-se nos óvulos e permite que amadureçam ao mesmo tempo que vasos sanguíneos rodeiam o “andaime”, permitindo que as circulações de hormonas livrem-se do leite após o parto.

Comentários

comentários

Artigos relacionados