Comunidade Europeia seleciona consórcio europeu com participação portuguesa para evento internacional em inovação sustentável

Parceiros portugueses do projeto europeu de €15M chamado SENSIBLE são: EDP Labelec, EDP Distribuição, INESC TEC e SIEMENS Portugal

Versão para impressão

O projeto europeu SENSIBLE, de 15 milhões de euros, acaba de ser selecionado pela Comissão Europeia (CE) para ser apresentado no “Cleantech Capital Day” em Malmo (Suécia), como um projeto inovador na área de energia. A Cleantech Capital Day é um dos eventos mais emblemáticos na área da Inovação Sustentável, juntando cerca de 200 profissionais, desde a indústria, a investidores, setor público ou startups. Este ano, o evento realiza-se nos dias 22 e 23 de maio.

O SENSIBLE foi, assim, visto pela Comissão como um projeto que está a desenvolver soluções em áreas chave e prioritárias para a União Europeia em termos de investigação e desenvolvimento, tais como: armazenamento de energia, tornando possível a poupança de energia elétrica consumida e a gestão mais eficiente e fiável da rede elétrica.

Existem quatro instituições portuguesas a trabalhar neste consórcio, são elas a EDP Labelec, a EDP Distribuição, o Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESCTEC) e a Siemens Portugal.

Portugal é um dos locais onde as tecnologias estão a ser testadas, mais precisamente na aldeia de Valverde, em Évora. Também em Nottingham (Reino Unido) e Nuremberga (Alemanha) existem áreas de demonstração.

Mas afinal, qual a grande inovação do projeto, que o levou a ser distinguido pela Comissão Europeia? “A integração de soluções distribuídas de armazenamento de energia é considerada essencial para permitir uma maior integração de produção de energia elétrica por fontes renováveis. O armazenamento de energia através por exemplo de baterias permite-nos utilizar a energia produzida pelas fontes renováveis nas horas de maior consumo ou ainda alimentar as nossas casas quando existem problemas na rede elétrica” explica Clara Gouveia, investigadora sénior do Centro de Sistemas de Energia do INESC TEC.

O projeto está a explorar os benefícios da utilização de tecnologias de armazenamento de energia, tais como baterias, nas nossas casas, comunidades e ainda nas redes elétricas para criar um fornecimento mais sustentável e fiável de energia, assim como reduzir as perdas de energia na rede elétrica.

No que diz respeito a Portugal, o projeto está focado em demonstrar o benefício da integração de sistemas de baterias na rede de distribuição e das soluções de autoconsumo a nível residencial, e como a flexibilidade pode beneficiar simultaneamente o operador da rede e o consumidor, através de novos modelos de negócio e mecanismos de mercado.

As soluções de autoconsumo que integram painéis solares, sistema de baterias e termoacumuladores foram instalados em Valverde em agosto de 2017. Em nove meses, a poupança média ronda os 20% quer em casas residenciais quer em estabelecimentos comerciais.

Do lado da rede de distribuição, o projeto SENSIBLE representou uma oportunidade única de testar novos mecanismos de gestão e operação da rede, traduzindo-se numa maior flexibilidade na eventualidadede situações anómalas. As redes elétricas em zonas rurais são tipicamente aéreas e com maior dispersão geográfica, o que significa que estão muitas vezes mais expostas a fenómenos atmosféricos adversos que podem causar a interrupção de serviço. Em condições normais de funcionamento os sistemas de armazenamentosão controlados para melhorar a eficiência de operação em particular nas horas de maior consumo e em condições de emergência poderão assegurar a eletricidade a uma pequena comunidade por um período razoável de tempo.

“Por outro lado, vamos passar a assistir a consumidores mais ativos, com maior capacidade de gestão do seu consumo e consequentemente maior poupança, mais participativos e com mais informação”, explica a investigadora do INESC TEC.

Estes sistemas têm por base baterias de iões de lítio suportados pelos algoritmos desenvolvidos no âmbito do projeto, e, pretende-se que, quando estiverem maduros, sejam mais uma opção a ser integradano portfólio do operador da rede de distribuição.

“Em Évora, o projeto SENSIBLE desenvolveu aplicações para gerir energia que, simultaneamente, otimizam o autoconsumo e permite aumentar um leque de novos serviços energéticos a disponibilizar aos clientes, otimizando assim o funcionamento do sistema elétrico como um todo”, explica Ricardo Mendes André, gestor do projeto na EDP.

No seguimento deste reconhecimento, o SENSIBLE pode ter a possibilidade de, tal como outros projetos distinguidos, fazer parte do portfólio da World Alliance para soluções eficientes, que vai ser apresentado aos Chefes de Estado e de Governo durante o COP24, em Katowice, na Polónia, no final deste ano.

Mais informações sobre o projeto podem ser encontradas em: https://www.projectsensible.eu/

Comentários

comentários

Artigos relacionados