Crime cibernético ameaça empresas portuguesas e mundiais

Apenas 8% das empresas portuguesas subscreveram seguro cibernético

Versão para impressão
O risco cibernético é já uma das maiores ameaças para as empresas em Portugal e no mundo, tendo um impacto económico superior a 20% em perda de receitas, de clientes e oportunidades de negócio. O fenómeno tem vindo a crescer de forma acelerada a nível mundial, tendo em Portugal afetado uma em cada quatro empresas no último ano.

“O Ciber Risk em Portugal e no Mundo” foi o tema do primeiro encontro MDS Trends, promovido pela MDS, multinacional de origem portuguesa líder na corretagem de seguros e consultoria de riscos, com a colaboração da S21sec, empresa tecnológica especializada líder em cibersegurança.

Paula Rios, administradora da MDS, afirma: “O ciber risco é hoje uma das maiores ameaças às empresas, colocando em causa a continuidade e sustentabilidade dos seus negócios. No entanto, apesar de reconhecerem esta realidade, as empresas ainda não estão devidamente protegidas para enfrentar o risco cibernético, seja em termos tecnológicos e de cultura de mitigação de riscos, seja na proteção financeira através de seguros”.

Dados recentes apontam que apenas 8% das empresas portuguesas subscreveram em algum momento um seguro cibernético, de forma a mitigarem os impactos financeiros dos ciberataques.

O risco cibernético significa qualquer risco de perda financeira, interrupção da operação ou dano à reputação de uma organização devido a algum tipo de falha dos seus sistemas de tecnologia de informação

O MDS Trends teve como oradores Carla Zibreira, especialista em cibersegurança e diretora de Consultancy & Academy da S21Sec, e Pedro Moura Ferreira, especialista em ciber risk e diretor de Technical & Placement da MDS.

Comentários

comentários

Artigos relacionados