Med Summit 2017

LaserLeap Technologies vence European Photonics Venture Forum

A LaserLeap ganha a oportunidade de disputar o European Venture Contest (EVC), que terá lugar em Dusseldorf

Acredita Portugal

Versão para impressão
A LaserLeap Technologies, start-up da Universidade de Coimbra (UC) incubada no Instituto Pedro Nunes (IPN), venceu o “European Photonics Venture Forum”, um concurso europeu promovido especificamente para reunir empresários, investidores, corporações e políticos, com o objetivo de acelerar o desenvolvimento de empresas emergentes de base tecnológica.

29 empresas de tecnologias focadas na fotónica (interação da luz com a matéria) de toda a Europa, selecionadas entre um vasto leque de candidaturas apresentadas, disputaram a final em Dublin, dispondo cada uma delas de apenas 8 minutos para mostrar as vantagens dos seus produtos.

Para Gonçalo Sá, diretor executivo da LaserLeap, “este prémio é um reconhecimento pelo progresso que a LaserLeap atingiu no último ano, nomeadamente com mais de 100 pacientes tratados segundo os protocolos de ácido hialurónico em rejuvenescimento facial com resultados muito promissores”, destacando, ainda, que a comercialização do produto (seringa a laser), atualmente em Portugal e Espanha, “está a alargar-se a outros mercados europeus. O facto de termos evidenciado a nossa tecnologia junto dos grandes investidores que participaram no European Photonics Venture Forum pode estimular essa expansão”.

Ao vencer o concurso, a LaserLeap tem “passaporte automático” para disputar o European Venture Contest (EVC), que terá lugar em Dusseldorf, no mês de dezembro.

Fundada por um grupo de investigadores da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), a LaserLeap Technologies é uma Startup de base tecnológica centrada no desenvolvimento de uma tecnologia, patenteada, de administração transdérmica e de dispositivos médicos.

A solução comercializada pela empresa permite a administração rápida e eficaz de fármacos através da pele sem utilização de seringas tradicionais.

Comentários

comentários

Premio Startup Montenegro 2017

Artigos relacionados