À Mater Dynamics juntam-se a WeStoreOnTex e a Pavnext na comitiva que representará Portugal na maior competição do mundo de inovação cleantech.

Versão para impressão
por Isabel Pereira

A final nacional do ClimateLaunchpad 2017 realizou-se esta quinta-feira, dia 22 de junho, no UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto. Seis ideias relacionadas com energias renováveis, eficiência energética, transportes e tecnologia industrial foram apresentadas perante um painel de jurados, investidores e parceiros.

Tiago Cunha Reis e a sua equipa querem integrar pequenas moléculas com capacidade de medir temperatura e humidade nas embalagens de produtos alimentares e farmacêuticos. “A Mater Dynamics consegue medir a qualidade dos produtos, desde a produção até ao consumidor, ajudando os diferentes agentes a tomar decisões para evitar o desperdício, e trazendo valor acrescentado em termos de segurança alimentar” explica Tiago Reis.

A WeStoreOnTex ocupou o segundo lugar no pódio e apresenta um têxtil que armazena energia. “Funciona como uma bateria e pode ser usado para alimentar dispositivos integrados na própria roupa, ou para alimentar dispositivos externos”, releva Clara Pereira. “Como o sistema está acoplado ao tecido, mantém-se o conforto da peça de roupa”, destaca. O ambiente fica a ganhar, uma vez que “não é usado lítio na constituição do produto, e ele tem maior durabilidade do que as baterias convencionais”.

O terceiro prémio foi entregue ao pavimento tecnológico da Pavnext. O mecanismo “reduz a velocidade dos veículos que nele circulem, a partir da extração energética. Essa energia é transformada em energia elétrica que pode ser usada, por exemplo, para iluminar a avenida ou ser injetada na rede”, descreve Francisco Duarte. A “produção de energia elétrica limpa, que aproveita a energia tipicamente perdida”, traduz-se na capacidade de reduzir o consumo da rede.

Do júri nacional, que decidiu pela vitória destes três projetos, fizeram parte Cristina Correia (PRIO Energy), Filipe Araújo (Câmara Municipal do Porto), Pedro Veiga Costa (Brisa), Pedro Vieira (Águas do Porto), Rui Lima (EMTEP), Telmo Machado (Lipor) e Victor Freitas (Microsoft).

As equipas distinguidas terão acesso à Escola de Startups do UPTEC, horas de apoio jurídico da Telles de Abreu Advogados e presença com um stand na Porto Water Innovation Week, evento promovido pela Águas do Porto. Nos dias 17 e 18 de outubro, vão representar Portugal na final europeia, em Chipre, junto de outros 102 projetos.

Entre os empreendedores a expectativas para a próxima fase da competição são muitas. Realçam a importância da “promoção das ideias a nível internacional” e a “possibilidade de contactar com a comunidade europeia que está a trabalhar com foco no combate às alterações climáticas”.

O primeiro classificado do ClimateLaunchpad 2017 receberá 10 mil euros, enquanto o segundo e o terceiro serão distinguidos com 5000 e 2500 euros, respetivamente.

Comentários

comentários

Artigos relacionados