Portugueses querem tecnologias de mobilidade urbana

Lisboetas e portuenses defende aprovação da lei para plataformas como a Uber

Versão para impressão
Residentes de Lisboa e do Porto, no total 1017 inquiridos, foram entrevistados para um estudo realizado pela Eurosondagem. Todos os dados foram feitos através de entrevistas telefónicas e nos dias 1,2,3 de março de 2017.

Este inquérito concluiu que mais de 80% dos inquiridos defende a aprovação da lei para aplicações como a Uber e que menos de 5% se opõem.

86,5% dos inquiridos concordam que a tecnologia pode trazer uma melhor mobilidade às cidades de Lisboa e do Porto, contra 2,0% que discordam, comprovando a abertura dos portugueses à inovação e à tecnologia.

A investigação concluiu também que 73,7% dos inquiridos concorda que um serviço como a Uber possa existir em Portugal, e apenas 7,6% discordam com estas aplicações.

90,3%, que já experimentaram o serviço, concordam que a Uber deve existir, contra apenas 2,7% que não concordam que estes serviços existam.

Concluindo, em relação à proposta de lei para regular aplicações como a Uber, 81,6% dos inquiridos concordam com a sua aprovação em sede parlamentar, enquanto apenas 4,9% se opõem.

Quanto a quem já experimentou serviços como o da Uber, 92,7% concordam com a aprovação de uma nova lei que regulamente a operação destas plataformas.

A causa deste estudo surge de um inquérito anterior da Eurosondagem de abril de 2016 e demonstra que cada vez mais os lisboetas e portuenses entendem que serviços como aquele que é prestado pela Uber e que são cada vez menos aqueles que se opõem a estas novas aplicações.

Comentários

comentários

Artigos relacionados