Primeiro observatório português de educação para os media nasce na UMinho

Esta iniciativa é também uma das primeiras do género a nível mundial.

Versão para impressão

O Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS) da Universidade do Minho lança esta sexta-feira o MILobs, o primeiro observatório português de educação para os media.

apresentação decorre às 14h30, na sala de atos do Instituto de Ciências Sociais da UMinho, no campus de Gualtar, em Braga. A sessão conta com os coordenadores do MILobs, Manuel Pinto e Sara Pereira, o diretor do CECS, Moisés de Lemos Martins, a comissária do Plano Nacional de Leitura, Teresa Calçada, e ainda Agustín García Matilla, perito de educação para os media e vice-reitor da Universidade de Valladolid (Espanha). A entrada é livre.

“Em tempo de desinformação e de fake news, torna-se necessário e urgente apostar na promoção de competências críticas face aos media e às novas redes e plataformas digitais, quer de leitura informada quer de utilização esclarecida”, justificam os coordenadores do MILobs – Observatório Media, Informação e Literacia, que surge na sequência de quase três décadas de trabalho na área pela UMinho.

Trata-se de um serviço à comunidade, sem fins lucrativos, que quer ter um papel de relevo na vertente documental e informativa ligada à literacia mediática, educação, comunicação e cultura, acompanhando e registando o que vai ocorrendo na investigação, na formação, na produção de recursos, em projetos no terreno e nas políticas deste âmbito em Portugal e no estrangeiro. Em paralelo, propõe-se como centro de recursos, rede de projetos nacionais e internacionais e base de lançamento de iniciativas e prestação de serviços, através da consultadoria, da formação de agentes educativos, de projetos de investigação e intervenção próprios ou colaborativos, da produção de materiais e da avaliação de políticas. O site oficial é milobs.pt.

A iniciativa recorre em especial às competências do CECS e em parceria com o Grupo Informal sobre Literacia Mediática (GILM), composto pelo Conselho Nacional de Educação, pela Comissão Nacional da UNESCO, pela Direção-Geral da Educação do Ministério da Educação, pela Direção de Serviços de Política Legislativa para os Media da Presidência do Conselho de Ministros, pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social, pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia, pela Rede de Bibliotecas Escolares, pela RTP, pelo Plano Nacional de Leitura, pela Direção-Geral do Livro, Arquivos e Bibliotecas e pelo próprio CECS. O GILM tem procurado promover uma cidadania mais crítica e ativa face aos media e às redes sociais, destacando-se o seu congresso nacional bienal e a operação “Sete Dias com os Media” em maio.

Comentários

comentários

Artigos relacionados