O primeiro parque solar do mundo num campo de refugiados

Nos últimos dois anos, os refugiados têm vivido apenas com o apoio exclusivo de lanternas solares.

Versão para impressão
A Agência das Nações Unidas para os Refugiados, UNHCR, acaba de inaugurar um parque de energia solar no campo de refugiados de Azraq, na Jordânia.

Financiado pela campanha “Uma vida melhor para os refugiados” da IKEA Foundation, este projeto vai permitir que a população deste campo de refugiados tenha acesso a energia solar, depois de viver durante dois anos sem eletricidade e também contribuir para a estratégia energética nacional da Jordânia, que visa alcançar uma economia verde até 2020.

Com um investimento de 8,75 milhões de euros, o parque solar foi inteiramente financiado pela IKEA Foundation através da campanha “Uma vida melhor para os refugiados”, que reuniu 30,8 milhões de euros para projetos da UNHCR.

Por cada lâmpada LED vendida durante o período da campanha, a IKEA Foundation doou um euro à UNHCR para conseguir levar energia renovável e educação aos refugiados.

A capacidade da instalação fotovoltaica (PV), de 2 megawatts, vai fornecer eletricidade a 20.000 refugiados sírios, que vivem em cerca de 5.000 abrigos no campo Azraq, cobrindo as necessidades energéticas de duas aldeias ligadas à rede nacional.

“Hoje é um dia muito importante. Iluminar o acampamento não é apenas uma conquista simbólica. Vamos criar um ambiente mais seguro para todos os residentes do campo, dar-lhes oportunidades de subsistência e dar às crianças a oportunidade de estudar depois de escurecer. Acima de tudo, permite que todos os moradores do campo tenham vidas mais dignas”, referiu Kelly T. Clements, Alto-comissário Adjunto da UNHCR. “Mais uma vez, a parceria entre a Fundação IKEA e a UNHCR mostrou como podemos abraçar novas tecnologias, inovação e humanidade para criar um impacto positivo na vida dos refugiados”.

A instalação da estrutura solar de Azraq também revelou uma oportunidades de emprego para os mais de 50 refugiados que receberam formação para ajudar a construir o parque, sob a supervisão da empresa solar jordana Mustakbal, que liderou as obras no local. Parte destas pessoas serão também responsáveis pela manutenção da central no futuro.

O campo de Azraq abriu portas em abril de 2014 e está localizado numa área deserta no norte da Jordânia, onde são caraterísticos verões quentes e invernos rigorosos. A falta de eletricidade tem sido um dos principais desafios enfrentados pelos residentes, dificultando as atividades diárias, como cozinhar, lavar a roupa, estudar ou caminhar com segurança em direção à casa de banho durante a noite, sobretudo para mulheres e crianças.

Comentários

comentários

Artigos relacionados