Siemens quer participar na transformação da Madeira em smart island

Multinacional alemã esteve no Smart Funchal’17

Versão para impressão
A Siemens quer ajudar à transformação da Madeira na primeira smart island portuguesa e foi com esse objetivo que esteve, na semana passada, no Smart Funchal’ 17, onde apresentou um conjunto de soluções que podem contribuir para o desenvolvimento energético, urbanístico, industrial e tecnológico da ilha, garantindo maior inovação, sustentabilidade e competitividade.

“Já participámos e continuamos a participar em diversos projetos de vital importância no Arquipélago da Madeira, e estamos convictos de que o conceito smart pode também ser aplicado em ilhas, com claros benefícios energéticos, de mobilidade e para as infraestruturas fundamentais ao desenvolvimento social e económico de toda a região”, afirma Hélio Jesus, diretor de tecnologia da Siemens Portugal.

Devido às suas características intrínsecas, as ilhas tornaram-se nos últimos anos laboratórios vivos de destaque para as iniciativas voltadas para o futuro, em termos de construção de sistemas energéticos autossuficientes e eficientes. A Siemens conta no seu portofólio com um vasto leque de soluções já testadas nesta e noutras áreas (indústria, mobilidade ou tecnologia de edifícios), que podem facilmente ser implementadas na Madeira, contribuindo para a criação de negócios e emprego, para o aumento da produtividade e competitividade da região e para a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos.

Sempre com a inovação como mote, a Siemens tem sido pioneira na defesa e criação de Cidades/Ilhas Inteligentes um pouco por todo o mundo, e Portugal não é exceção. Um dos 20 Centros de Competências (CoCs) da Siemens, sedeados em Portugal é exclusivamente dedicado a Micro-Redes e Armazenamento de energia, conceitos fundamentais para o conceito de Smart Islands.

Comentários

comentários

Artigos relacionados