Tecnologia portuguesa em missão espacial

Empresa D-Orbit Portugal tem papel essencial em missão que utiliza o primeiro satélite capaz de deixar o Espaço limpo no final da sua missão

Versão para impressão
Na terceira semana de junho será lançado para o Espaço o D-Sat, o primeiro satélite capaz de se remover de órbita no final da sua missão, deixando o Espaço limpo e impedindo a sua transformação em perigosos detritos espaciais.

A D-Orbit Portugal, uma subsidiária da D-Orbit Srl, participou na preparação da missão D-Sat e é a responsável por desenvolver e testar o software de bordo, o software da estação terrestre e o software de controlo para a experiência “DeCas” e teve ainda a seu cargo testar o hardware para a experiência “Atmosphere Analyzer”.

A D-Orbit Portugal é uma das empresas apoiadas pela Incubadora da Agência Espacial Europeia em Portugal (ESA BIC Portugal), coordenada pelo Instituto Pedro Nunes (IPN). No âmbito do seu trabalho na ESA BIC Portugal, a D-Orbit Portugal testou ainda o hardware para a experiência “Atmosphere Analyzer”, uma das três experiências da missão D-Sat.

A “Atmosphere Analyzer” é uma experiência que pretende validar uma abordagem inovadora para amostragem da ionosfera. Durante a manobra de reentrada, o D-Sat passará através de uma região da ionosfera entre os 80km e os 150km, recolhendo dados e transmitindo-os para a Terra. Até aos dias de hoje, esta é a região menos estudada da atmosfera por se encontrar a uma altitude demasiado alta para os balões estratosféricos e demasiado baixa para os satélites. Quando a abordagem for validada, D-Orbit passará à planificação de uma missão especializada que usará uma variante desta abordagem, permitindo tirar amostras desta região da ionosfera até cinco vezes por dia durante quase um ano.

Na ESA BIC Portugal são apoiadas startups que transfiram tecnologia espacial para aplicações na Terra nas mais diversas áreas.

Quando um satélite é lançado para o Espaço, continua a girar em torno da Terra por dezenas de anos. Contudo, uma missão espacial não dura tanto tempo. É por esta razão que, depois de 60 anos de atividade espacial, existem no Espaço dezenas de milhares de detritos com dimensões que podem ir desde poucos centímetros a alguns metros. Estes detritos, que giram à volta da terra durante décadas, põem em perigo a atividade dos satélites ativos.

Por mérito do D-Orbit Decommissioning Device (D3), uma tecnologia desenvolvida pela D-Orbit para o mercado de satélites, o D-Sat executará uma manobra de desmantelamento direta e controlada que causará a reentrada do satélite na atmosfera em apenas 30 minutos, causando a sua desintegração sobre áreas inabitadas.

A missão D-Sat tem um duplo objetivo final. Por um lado, é uma missão para testar e validar esta tecnologia de descomissionamento; por outro, a D-Sat abriga três experiências que têm âmbitos de caráter social e ambiental: SatAlert, Debris Collision Alerting System (DeCas) e Atmosphere Analyzer (ver abaixo).

A D-Orbit Srlé uma empresa italiana de sistemas espaciais especializada em produtos e serviços para agilizar o comissionamento e desmantelamento de satélites e constelações, reduzindo a complexidade do sistema e o custo de operação e aumentando a vida útil, a confiabilidade e as receitas.

Comentários

comentários

Artigos relacionados