UMinho desafia cidadãos a fazer sensores e ver a química dos alimentos

Braga é palco, em diversos sábados até setembro, de ações experimentais preparatórias para a Noite Europeia dos Investigadores

Versão para impressão
A Escola de Ciências da Universidade do Minho (ECUM) arranca este sábado, dia 10, com workshops abertos ao público em vários locais de Braga, que vão prolongar-se até setembro. O ciclo, chamado “Há Ciência na Cidade!”, visa aproximar a ciência dos cidadãos, revelar a investigação de qualidade produzida em Portugal e antecipar a Noite Europeia dos Investigadores, que é a 29 de setembro e inclui a ECUM na organização nacional.

O workshop inicial é este sábado, das 10h00 às 13h00, no Centro de Física da UMinho, no campus de Gualtar, sob o tema “Plásticos inteligentes – como desenvolver sensores e superfícies interativas a partir de polímeros e nanopartículas”. A iniciativa vai mostrar como se desenvolvem e imprimem sensores de pressão, deformação, temperatura e campo magnético, evidenciando o papel da nanotecnologia no processo.

A segunda sessão é no sábado seguinte, dia 17, à mesma hora e no vizinho Centro de Química da UMinho, sobre “Cromatografia: a técnica que controla tudo o que consumimos”. Será possível, por exemplo, separar os compostos de produtos, desde bebidas a perfumes, de modo a caraterizar a sua constituição química.

Esta ferramenta é fulcral no controlo ambiental, na criminologia e na dopagem em atletas, entre outras áreas. Já os workshops de julho são no dia 1 (optometria), dia 8 (matemática e estatística), dia 15 (biologia) e dia 22 (geologia).

As inscrições podem ser feitas para o email neinvestigadoresbraga@gmail.com. Em paralelo, as crianças do pré-escolar e 1º ciclo do distrito estão a ser desafiadas para participarem até 30 de junho no concurso de desenho “O dia-a-dia de um cientista”. Os melhores trabalhos serão distinguidos e alvo de uma exposição.

Desmistificar a imagem do cientista inacessível

“Estamos a desmistificar a imagem do cientista distante e inacessível”, refere a presidente da ECUM, Margarida Casal. “Queremos potenciar a consciência pública sobre o quanto a ciência influencia o nosso modo de vida, bem como permitir que os investigadores concretizem a perceção do grande público sobre o seu trabalho e acentuem contactos com os cidadãos e outros cientistas para reforçar os esforços de inovação”, acrescenta.

A Noite Europeia dos Investigadores decorre em setembro em centenas de cidades da Europa e Israel, incluindo também ações em Braga. É promovida desde 2005 pela Comissão Europeia, com apoio de inúmeras entidades, afirmando a interação da comunidade científica com o público, desde crianças a seniores, permitindo por exemplo descobrir a ciência de forma divertida e promover a investigação como carreira. A ECUM participa pelo consórcio “SCILIFE – Ciência no dia-a-dia”, financiado pelas ações Marie Curie, da Comissão Europeia.

Comentários

comentários

Artigos relacionados