Vêm aí os primeiros tapetes de cortiça feitos em tear

São mais resistentes e oferecem maior conforto térmico e acústico. Vêm aí os “Sugo Cork Rugs”, a primeira coleção de tapetes que combinam cortiça, lã e algodão, recorrendo a métodos tradicionais de tecelagem. A primeira coleção oferece 13 modelos distintos.

Versão para impressão
A nova coleção  foi concebida pela TD Cork, uma startup da Amorim Cork Ventures, a única incubadora do mundo exclusivamente dedicada a negócios em cortiça. A TD Cork é liderada pela designer Susana Godinho e a gestora Sónia Andrade.

Além da cortiça, a nova marca de tapetes combina lã nacional e o algodão recuperado de grandes produções industriais, opções que permitem conjugar a tonalidade da cortiça com uma ou várias cores das fibras têxteis usadas. A técnica que combina cortiça com os métodos tradicionais de tecelagem, já deu origem a um pedido de patente.

A coleção surge no mercado com 13 modelos de tapetes base, cuns mais tradicionais e outros mais vanguardistas. No entanto, estes modelos podem ser complementados por tapetes personalizados, de acordo com uma multiplicidade de padrões, cores e texturas.

Em comunicado de imprensa, a Amorim Cork Ventures garante que estes tapetes oferecem inúmeros benefícios de desempenho, nomeadamente em termos de durabilidade, propriedades térmicas e acústicas, conforto, sendo  que prometem também reduzir o risco de alergias.

Os canais de vendas prioritários serão o retalho especializado, bem como as parcerias com gabinetes de design e de arquitetura, nos principais mercados alvo da Sugo Cork Rugs ®.

Comentários

comentários

Premio Startup Montenegro 2017

Artigos relacionados