Quem vence a batalha entre a Google Play e a App Store?

Com toda a tecnologia de que dispomos atualmente, quase nem nos apercebemos da grande rivalidade de marcas em alguns setores que julgamos que são tão grandes ou normais.

Versão para impressão
Por exemplo, muita gente sabe que a Apple é um concorrente direto da Microsoft. Mas já alguém pensou se a Apple tem mais computadores em todo o mundo do que a Microsoft com o Windows? A resposta pode parecer difícil mas neste caso o Windows, apesar de ter sofrido uma quebra, continua a ser o principal sistema operativo em computadores a nível mundial.

No entanto, a conversa muda da figura se pensarmos no mercado móvel, e mais especificamente no mercado de apps para smartphones e tablets. Aqui não há dúvida que os grandes líderes são a Google com a PlayStore, e a Apple com a App Store, mas já se torna mais complicado prever quem sai por cima neste confronto. A grande verdade é que a grande maioria das pessoas nem o vê como um confronto, porque dispõem de dois sistemas operativos e tipos de equipamentos diferentes por onde escolher, e cada um escolhe aquele com que se adapta mais. Mas a verdade é que as marcas procuram sempre superar-se uma à outra no que diz respeito ao seu mercado de apps, uma vez que, sabem a importância que ele tem na fidelização da marca.

Então vejamos algumas das maiores diferenças entre os dois mercados de apps destes dois gigantes tecnológicos:

– A Play Store, ou Google Play, disponibiliza mais apps para os seus utilizadores e muito mais capacidade de personalização das suas apps e sistemas operativos.

– Por outro lado, a App Store da Apple tem um nível de segurança muito maior nos seus aplicativos.

– A App Store disponibiliza muito mais jogos exclusivos nas suas apps e jogos de casino online, como os jogos de slots que encontra em SlotsOnline.pt.

– A Google Play oferece muito mais apps de edição de fotos, tradução ao vivo e educação.

– As apps no Google Play são muito mais baratas e têm alternativas gratuitas para qualquer app que queira utilizar.

Com isto em mente, a preferência já depende de cada utilizador, mas a verdade é que as duas são opções excelentes e que em nenhum dos casos ficará mal servido. Tem é que perceber quais características se adequam melhor ao seu perfil de utilização.

A juntar a tudo isto, há que ter em conta as características do próprio smartphone que irá comprar, uma vez que também influenciam, e muito, a capacidade de uma app funcionar bem, ou do uso que queira dar ao smartphone. No fundo, quem ganha é o utilizador, que tem várias opções e pode escolher a que gosta mais.

Comentários

comentários

Artigos relacionados