App apoia doentes oncológicos

A Bolsa Celgene 2018, no valor de 10 mil euros, foi atribuída ao projeto “iGestSaúde”.

Versão para impressão

A Bolsa Celgene 2018, no valor de 10 mil euros, foi atribuída ao projeto “iGestSaúde”, desenvolvido por Célia Santos, da Escola Superior de Enfermagem do Porto, Bruno Magalhães, da Escola Superior de Saúde de Santa Maria, e Carla Fernandes, da Universidade Fernando Pessoa. Com o valor da bolsa, esta equipa de docentes e profissionais de enfermagem vai poder dar vida à aplicação móvel que espera começar já a apoiar 200 doentes hemato-oncológicos a lidar com a doença e com os sintomas que podem surgir associados aos tratamentos de quimio e imunoterapia. A cerimónia de entrega da Bolsa Celgene 2018 de Incentivo às Iniciativas Centradas na Pessoa com Doença decorrerá no dia 23 de novembro, às 17h20, no 7.º Congresso Internacional dos Hospitais, cujo tema é “Envolvimento e responsabilidade do Cidadão no SNS”.

A Bolsa Celgene 2018 está integrada no ChangeMakers & Patient Partners, o programa internacional de responsabilidade social da companhia e visa reconhecer novos projetos centrados nas pessoas com doenças oncológicas e nas doenças crónicas ou debilitantes do foro reumático e do sistema nervoso.

A aplicação móvel “iGestSaúde” pretende reforçar a comunicação entre os doentes e os profissionais de saúde, favorecer a adesão às indicações terapêuticas e responder, atempadamente e de forma proactiva, aos sintomas ou complicações que possam surgir no domicílio e que estejam associados à doença ou ao tratamento, melhorando, assim, a eficácia da terapêutica, prevenindo complicações e melhorando a autogestão da doença e o bem-estar dos doentes. Para já pretende apoiar doentes hemato-oncológicos que se encontrem a fazer tratamentos de quimio ou imunoterapia em regime de ambulatório, mas a ambição futura é conseguir apoiar pessoas com as mais variadas doenças crónicas, desde doenças cardiovasculares à doença pulmonar obstrutiva crónica.

Célia Santos, da Escola Superior de Enfermagem do Porto, destaca que os doentes hemato-oncológicos em tratamento “precisam de alguém os ajude a avaliar a sua sintomatologia e a perceber o que fazer face aos sintomas. Como esses sintomas muitas vezes só surgem quando o doente já está em casa, depois do tratamento, e este acaba por não ter em mente a informação partilhada pelos profissionais de saúde relativamente à sintomatologia possível, o iGestSaúde pretende oferecer essa ajuda, através de orientações terapêuticas elaboradas por profissionais de saúde”.

Sobre o projeto iGestSaúde ter sido selecionado como vencedor desta bolsa, que visa apoiar o desenvolvimento de novos projetos centrados nas necessidades dos doentes e seus cuidadores, a professora destaca: “A Bolsa Celgene 2018 será para nós uma grande motivação porque irá permitir-nos dar vida a tudo o que já fomos construindo no papel – como os questionários de sintomatologia, a categorização dos sintomas, as orientações terapêuticas, entre outros – através da criação da aplicação móvel, que nos vai permitir ajudar os doentes que estão a realizar tratamentos de quimio ou imunoterapia a gerir os seus sintomas e a lidar com a sua patologia, melhorando assim a sua qualidade de vida.”

Katherine Stultz, VP Country Manager em Espanha e Portugal declara “Vivemos um momento muito emocionante, com a ciência transformadora a mover-se rapidamente. Essa nova era que nos espera é cheia de esperança e desafios que só podem ser superados com empresas que tenham capacidade de adaptação e colaboração. Não podemos fazer isso sozinhos, precisamos trabalhar em parceria com a totalidade do sistema de saúde neste processo. Neste sentido, a Celgene é clara com o nosso empenho  de sermos  parceiros do Sistema Nacional de Saúde e apoiar iniciativas orientadas para a sociedade para proporcionar melhores resultados para os doentes de uma forma sustentável, para todos, em Portugal.”

Katherine Stultz sublinha ainda “A Celgene, tem como compromisso melhorar a vida dos doentes e reconhece o valor de projetos criados com o envolvimento das pessoas com doença e que as empoderam de modo a contribuir para o aperfeiçoamento do projeto ao longo do tempo e o seu impacto junto dos seus destinatários.”

“Tenho ainda o prazer de anunciar que a Celgene irá dar continuidade em 2019 aos “Prémios Celgene de Incentivo às Iniciativas Centradas na Pessoa com Doença” para distinguir projetos desenvolvidos por organizações sem fins lucrativos, em colaboração com os doentes, na área da hemato-oncologia”.

Comentários

comentários

Artigos relacionados

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close