As tendências de consumo nacionais

O online é cada vez mais procurado para encontrar o presente de Natal certo

Versão para impressão

Segundo a análise do Observador Cetelem Natal 2017, que mede as intenções de compra dos consumidores nesta quadra festiva, regista-se um aumento do online enquanto método utilizado para a pesquisa das prendas a oferecer no Natal. Assim, 22% dos consumidores vão à Internet antes de efetuarem as suas compras. Este é um crescimento de 3 pontos percentuais face a 2016. Já 38% dos portugueses pesquisam a Internet em segundo lugar, mais 14% que em 2016.

Em conclusão, o estudo indica que, no total, 60% dos portugueses têm na Internet a primeira ou a segunda opção de pesquisa – mais 17 pontos percentuais que o total registado no ano passado. Refira-se que este é um crescimento sustentado, pois apenas há três anos não mais de 10% dos portugueses procuravam as suas compras em primeiro lugar na Internet, enquanto 26% o faziam em segundo lugar, num total de 36% de menções (menos 24% que o verificado este ano).

Perante estes números, os canais online encontram-se mesmo entre os dois métodos de pesquisa mais utilizados pelos portugueses.

No entanto, o passeio para ver as montras das zonas comerciais e a visita às lojas continua a ser a forma mais apreciada pelos consumidores nacionais, mais concretamente por 75% dos inquiridos neste estudo, um aumento de 5 pontos percentuais em relação ao último ano. Já 21% fazem-no em segundo lugar, mais 2 pontos percentuais face a 2016. No total, este é um meio de pesquisa utilizado por 96% dos portugueses, num aumento de 7%.

De mencionar que apenas 3% dos inquiridos não referem a visita a lojas e montras ou a Internet como formas de pesquisa prioritárias. Assiste-se a uma diminuição de 8% face ao ano passado e de 18 pontos percentuais quando comparado com 2014.

Este é um resultado que, de acordo com Pedro Camarinha, Diretor Distribuição do Cetelem, «reflete os novos hábitos dos consumidores nacionais. A Internet, seja apenas para pesquisa de informação, seja para a aquisição de produtos e serviços, veio para ficar. A facilidade e comodidade de acesso sem ter que ir às lojas, a crescente oferta, ou a facilidade de compra e receção das encomendas, são aspetos que criaram um novo paradigma de consumo. No caso do Natal, este é um período de fortes enchentes nos espaços comerciais. Para muitos, o melhor método de procura da prenda certa tem que ser o mais relaxado e descontraído possível. E os canais online oferecem essa alternativa».

O Observador Cetelem Natal 2017 tem por base uma amostra representativa de 600 indivíduos residentes em Portugal Continental, de ambos os géneros e com idades compreendidas entre os 18 e os 65 anos. Estes foram entrevistados telefonicamente, com informação recolhida por intermédio de um questionário estruturado de perguntas fechadas. O trabalho de campo foi realizado pela empresa de estudos de mercado Nielsen, entre os dias 23 setembro a 6 de outubro, e um erro máximo de +4,0 para um intervalo de confiança de 95%.

Comentários

comentários

Artigos relacionados

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close