Bosch lança primeiro painel de instrumentos curvo do mundo e tem mão portuguesa

Maior escolha: o novo painel de controlo permite que os condutores selecionem aquilo que pretendem que o painel de instrumentos contenha

Versão para impressão

 

Uma conquista alucinante: a Bosch está a instalar o primeiro painel de instrumentos curvo do mundo no cockpit de um veículo de produção em massa. O que há muito tempo chegou às salas de estar em casa das pessoas e também aos smartphones está agora a ser colocado na estrada pela Bosch como o primeiro deste género em produção em massa. “Os dias dos painéis de controlo totalmente planos chegaram ao fim. Com o primeiro painel de instrumentos curvo do mundo, a Bosch dá início a uma nova dimensão nos cockpits de veículos”, diz Steffen Berns, presidente da divisão Car Multimedia. O painel de instrumentos “curvo” vai oficializar a sua estreia no Innovision Cockpit do novo VW Touareg. Isso significa que a Volkswagen está a substituir a tecnologia de ecrã analógico por trás do volante por um monitor curvo de alta resolução e totalmente configurável.

Parte do segredo desta nova solução tem a criatividade e o know-how de engenheiros da Bosch Car Multimedia, em Braga. Uma vasta equipa de especialistas deu suporte ao desenvolvimento deste produto e é agora responsável pelo projeto para futuros designs e adaptações do produto. “A equipa de engenharia mecânica é responsável por especificar e desenhar todas as partes físicas do produto. A assemblagem é também da responsabilidade da Bosch Car Multimedia, em Braga, assim como a sua expedição para os nossos clientes”, avança Carsten Stoll, Group leader da equipa de engenharia mecânica para Sistemas de Instrumentação da Bosch Car Multimedia em Braga.

 

Mais segurança, mais espaço, mais liberdade

Todos sabem que o mundo não é plano. Com um display completamente digital e curvo, a Bosch prova que o painel de instrumentos dos veículos também não tem que o ser. A sua curvatura simula a curvatura percecionada pelo olho humano. Como resultado, o condutor consegue identificar mais facilmente os sinais de aviso, mesmo os das extremidades do ecrã. Além disso, isto proporciona também uma clara vantagem relativamente aos ecrãs curvos de casa onde apenas uma pessoa tem um campo de visão total. “Os condutores beneficiam com estes ecrãs, quer seja em termos de segurança ou de conveniência. Ao mesmo tempo, este tipo de ecrã permite maior liberdade e espaço para as construtoras inovarem no design dos seus habitáculos”, conclui Steffen Berns. Hoje em dia, os construtores automóveis querem evitar os botões mecânicos e os controlos físicos, nesse sentido, os monitores de grandes dimensões são as soluções mais desejadas – como é o caso do ecrã curvo da Bosch. Por baixo desta superfície, estão combinados vários ecrãs digitais, que ao mesmo tempo retiram quase dois centímetros do espaço ocupado comparativamente aos ecrãs convencionais.

 

“O que quiser” dentro do habitáculo

Velocímetro, mapas de navegação ou a lista telefónica: o conteúdo mostrado no painel de instrumentos com uma dimensão diagonal de quase 31 centímetros (12.3 polegadas) é determinado pelo condutor mediante a situação de condução e as suas preferências. Um sistema de controlo inteligente – invisível ao condutor – está consolidado atrás do cockpit numa unidade de controlo. Isto assegura que o condutor tem visibilidade permanente do conteúdo que quer consultar. Cada informação pode ser mostrada em todo o ecrã ou em conjunto com outros conteúdos. Assim se os ocupantes quiserem ver uma rota enquanto se consulta uma playlist é exequível fazê-lo de forma fácil e cómoda usando os comandos no volante ou o touchscreen. Além disso, é também possível fazer zoom no mapa do gps diretamente no ecrã – uma nova funcionalidade que será lançada no Innovision Cockpit do Touareg.

 

Quatro vezes menos reflexos

Vibrações, flutuações de temperatura e a suscetibilidade de falhar: a exigência requerida aos displays dos veículos, em termos de robustez e qualidade, é extrema. Em adição, o condutor deve poder ler de forma fiável a informação dos painéis, mesmo quando o sol é refletido nestes ecrãs. Esta é a razão pela qual a Bosch produz estes clusters com recurso a um processo de produção especial. Até agora, este processo era usado para fabricar ecrãs planos de alto contraste, mesmo em ambientes com muita luminosidade. Em cooperação com os seus parceiros, a Bosch está, pela primeira vez, a usar este processo em larga escala para a produção de ecrãs curvos para o cockpit de veículos. O optical Bonding – nome dado a este processo – um líquido muito fino é utilizado para ligar o painel de instrumentação diretamente ao vidro. Graças à perfeita fixação dos dois componentes, o painel reflete menos luz, sendo que a sua eficácia é quatro vezes superior à dos ecrãs normais. Para o condutor, isto significa que não existem reflexos incómodos e que o contraste é mais visível quer seja em ambientes de luz ou de escuridão.

 

Comentários

comentários

Artigos relacionados

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close