National Geographic atribui bolsas a estudantes em Portugal

Mais de 450 bolsas por ano em todo o mundo e em diferentes áreas de especialização

Versão para impressão

 

A National Geographic Society (NGS) trabalha há mais de 130 anos para aumentar o conhecimento sobre o planeta e para incentivar a comunidade global a encontrar soluções para um futuro mais sustentável. Neste sentido atribui anualmente mais de 450 bolsas a exploradores de mais de 120 países – 20 destas bolsas já vieram para Portugal. As candidaturas estão novamente abertas até dia 10 de julho e podem ser feitas através do site: https://www.nationalgeographic.org/grants

A National Geographic investe em pessoas arrojadas e em ideias transformadoras nos campos da ciência e da exploração, atribuindo bolsas em diferentes áreas como a investigação, conservação, educação, storytelling e tecnologia.

Luís Fernambuco, General Manager da National Geographic Partners em Portugal explica: “Há 130 anos que a National Geographic promove a exploração, a investigação e a ciência. A atribuição de bolsas é um dos pilares da nossa intervenção e é graças aos nossos exploradores que conseguimos ir mais além nestes desígnios. Damos assim as boas-vindas a estes três novos bolseiros em Portugal, eles fazem agora parte de uma comunidade unida na missão de ajudar a conhecer melhor o mundo em que vivemos.”

No último ano, três portugueses foram premiados com as bolsas National Geographic Early Career. Os estudantes no Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais – cE3c, na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL) – Gonçalo Curveira-Santos, Martina Panisi e Gonçalo Costa, foram distinguidos pela National Geographic com bolsas de investigação. O apoio foi entregue para desenvolverem projetos na área da Biodiversidade e Conservação. Com o apoio financeiro das bolsas Early Career, com as quais foram distinguidos pela National Geographic, os investigadores nacionais estão focados em projetos de investigação, educação e storytelling.

Gonçalo Curveira-Santos, Martina Panisi e Gonçalo Costa vão respetivamente trabalhar em projetos de compreensão de como os carnívoros respondem à influência do homem nos ecossistemas do Sul de África, aprender com os búzios gigantes das florestas de São Tomé e Príncipe e por último conhecer as cigarras de Marrocos. Os projetos vão decorrer ao longo dos próximos 12 meses e vão permitir aos jovens dar continuidade e aprofundar o trabalho que estão a desenvolver no Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais.

As bolsas Early Career da National Geographic têm como objetivo dar a oportunidade a estudantes em início de carreira de liderar um projeto, não sendo necessário que os candidatos tenham uma formação avançada. Mais informações sobre o Programa de Bolsas National Geographic disponíveis aqui.

Comentários

comentários

Artigos relacionados

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close