Redução do smog pode levar europeus a poupar 183 mil milhões de euros em 2025

O relatório Clean Air Challenge, desenvolvido pela InnoEnergy e a Deloitte, identifica soluções inovadoras para a crise económica e na saúde

Versão para impressão

Uma nova investigação lançada hoje pela InnoEnergy, o motor da energia sustentável na Europa, criada pelo EIT, revela que os cidadãos europeus podem poupar 183 mil milhões de euros ao adoptar tecnologias para a redução do smog, nevoeiro causado pela poluição, nos próximos sete anos.

O relatório, entitulado Clean Air Challenge e produzido em colaboração com a Deloitte, surge como resposta às conclusões da Comissão Europeia que o smog pode ser a causa de 1 em cada 10 mortes prematuras no mundo, e que irá custar à União Europeia 475 mil milhões de euros entre 2018 e 2025. Estes números representam 2,9% do PIB europeu anual.

O relatório, que foi lançado num evento exclusivo com a presença de líderes políticos e legisladores em Bruxelas, dá uma visão aprofundada ao problema da qualidade do ar no continente europeu – destacando soluções inovadoras e concretas na área dos transportes e aquecimento para proteger os cidadãos europeus da poluição e do seu impacto na saúde.

Em declarações no evento, Jerzy Buzek, Presidente do Comité da Indústria, Investigação e Energia do Parlamento Europeu, referiu que “O smog é um dos problemas de saúde pública mais críticos deste século, sendo responsável por uma em cada dez mortes prematuras no mundo – e mais de 400 mil mortes prematuras na Europa, todos os anos. O relatório The Clean Air Challenge oferece soluções práticas que podem ajudar a melhorar a saúde pública dos nossos cidadãos e que pode beneficiar toda a sociedade. Devemos começar a implementá-las por toda a UE sem mais atrasos”.

Diego Pavia, CEO da InnoEnergy, afirma que “é alarmante que atualmente o smog ainda represente um risco para a saúde das nossas comunidades. Além do enorme custo económico, não existe nenhuma razão, com a tecnologia que está disponível, para que os cidadãos não respirem ar limpo. Na InnoEnergy, gostamos de encarar os problemas de frente e este não é exceção. Não só estamos a possibilitar mais investigações para entender melhor o problema e identificar soluções práticas, como estamos também ativamente à procura de oportunidades para oferecer investimento e maior apoio a negócios ambiciosos com paixão e um plano para pôr fim ao smog.”

Irena Pichola, Partner e líder de Sustainability Consulting na Europa Central an Deloitte, declarou que “não devemos esquecer-nos de que a má qualidade do ar afeta as pessoas de formas diferentes. Por exemplo, existem variações regionais enormes nas causas e efeitos do smog, sendo que a maior parte do smog que vem da Europa Ocidental é causado pelos transportes, enquanto que no lado Oriental da Europa o aquecimento produz a maior parte da poluição. Mas, como mencionado no relatório, por toda a Europa, os mais novos estão entre os mais afetados. Com um aumento de 100 unidades de matéria particulada (PM) é reduzido o tempo médio de vida por cerca de 2,3 anos entre crianças com 5 anos. Estamos orgulhosos por trabalhar com a InnoEnergy para encontrar soluções para um problema de enorme importância.”

A start-up portuguesa Sunaitec desenvolveu uma solução de energia solar concentrada e sensores ativos para melhorar consideravelmente a quantidade de energia solar obtida. No inverno, esta solução consegue gerar água quente e aquecimento, enquanto no verão pode ser utilizada para arrefecimento.

Comentários

comentários

Artigos relacionados

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close