Construir a Inovação

A inovação tem vindo, cada vez mais, a fazer parte do nosso quotidiano. O que é a inovação e como se constroem processos de inovação?

Versão para impressão
Inovação é a exploração com sucesso de novas ideias, com aplicabilidade prática, sendo necessário que produza um impacto significativo e tenha uma vantagem competitiva no longo prazo, para que possa ser caraterizada como tal.

Inovação

Inúmeros exemplos de inovação têm revolucionado a vida da humanidade ao longo dos séculos, mesmo ainda quando a sua definição não era a que hoje identificamos. O conceito de inovação surgiu mais recentemente nos trabalhos do economista Joseph Schumpeter sobre o desenvolvimento económico, onde a inovação aparece como elemento fundamental, uma vez que a sua introdução altera as condições prévias de equilíbrio dos ciclos económicos e as relações entre produtores e consumidores. A introdução de uma inovação no sistema económico é assim considerada um “ato empreendedor”.

Schumpeter distingue invenção de inovação, considerando invenção a criação de um novo artefacto que pode ou não, ter relevância económica: a invenção só se transforma em inovação se originar um bem passível de ser comercializado. Neste contexto, o ato de inovar associado ao ato de empreender vai produzir alterações nos mercados, alterando os ciclos económicos e o próprio desenvolvimento económico. São exemplos as inovações ligadas à telefonia móvel e à internet.

A inovação nas organizações

Nas entidades e organizações, a inovação pode desenvolver-se nos produtos e serviços, processos, negócios e gestão, esperando-se sempre um aumento da competitividade e a geração de novas receitas. Para que a aplicação da inovação, e dos processos por si gerados, possa ter sucesso, existe um conjunto de fatores que devem ser observados ao longo da sua implementação:

  • Comunicação do processo de inovação, para um ambiente favorável à mudança;
  • Identificação dos meios, técnicos e humanos, para o desenvolvimento da inovação;
  • Gestão dos timings de implementação do processo de inovação;
  • Gestão do risco associado, com manutenção de estabilidade da estrutura de custos;
  • Potenciar o sucesso, através do equilíbrio entre custos e benefícios;
  • Potenciar vantagens competitivas na comunicação com os mercados.

A inovação no contexto europeu

A inovação assume um papel central no âmbito da estratégia Europa2020 para um crescimento mais sustentável. O objetivo é estimular a inovação e o empreendedorismo numa sociedade baseada no conhecimento. Com a «Innovation Union», a União Europeia cria uma estratégia para a existência de um innovation-friendly environment para que as ideias inovadoras se possam transformar em produtos e serviços que tragam mais crescimento e mais emprego: «Fazer mais e melhor» para a manutenção da competitividade no mercado global com o objetivo de uma melhoria da qualidade de vida na Europa.

A União Europeia considera que a estratégia criada pela «Innovation Union» é um investimento fundamental para o futuro da Europa, sendo de referenciar iniciativas em temáticas como o conhecimento, boas ideias para o mercado, benefícios regionais e sociais, parcerias para a inovação e cooperação internacional.

Inovação Social, um novo conceito

A inovação social é a procura de novas soluções para responder a problemas e a necessidades sociais, que envolvem a colaboração entre os vários setores da sociedade (público, privado, 3º setor) e a participação ativa dos cidadãos (os utilizadores). A inovação social, ligada aos temas da inclusão e da economia social assume um importante papel no encontro de soluções para as necessidades sociais existentes, cabendo-lhe conseguir respostas, gerar resultados e promover o impacto social nas comunidades alvo. Pretende-se que a inovação social possa contribuir para a renovação da Economia Social, para um crescimento mais inclusivo e mais sustentável, e que valorize a coesão social enquanto verdadeira fonte de prosperidade coletiva.

O BIS, Banco de Inovação Social

O Banco de Inovação Social é uma iniciativa da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, com o objetivo de promover, apoiar, divulgar e desenvolver atividades no âmbito do empreendedorismo com valor social. Esta plataforma surgiu da necessidade de estabelecer parcerias e criar sinergias com outras entidades para poder contribuir para apoiar o desenvolvimento de atividades e projetos de inovação e empreendedorismo de cariz social. O conjunto dos seus parceiros colocam, ao serviço da inovação e do empreendedorismo, o conhecimento e a experiência, que são os “ativos” do BIS, uma vez que esta plataforma não é uma entidade financeira.

Bibliografia

BIS, Banco de Inovação Social, http://bancodeinovacaosocial.pt / (SCML)

Guide To Social Innovation, European Commission. Directorate-General for Regional Policy (2013Luxembourg, Publications Office of the European Union.

Innovation Union – European Commission http://ec.europa.eu/research/innovation-union/index_en.cfm)

Schumpeter, Joseph A. (1939) Business Cycles: A Theoretical, Historical and Statistical Analysis of Capitalist Processes. New York: Macmillan.

Smithies, Arthur (1950) “Memorial: Joseph Alois Schumpeter 1883-1950.” The American Economic Review, Vol. 40, No. 4, pp. 628-648.

Comentários

comentários

Premio Startup Montenegro 2017

Artigos relacionados