Game Design Versus Gamification Design

Os Jogos sempre fizeram parte da nossa sociedade, sendo que a vertente digital tem vindo a evoluir muito, em especial, em novas experiências de jogabilidade, estando cada mais presentes de forma constante nas nossas atividades diárias.

Versão para impressão
Com a evolução das tecnologias móveis, hoje em dia é possível jogar praticamente em qualquer lugar, cimentando o seu lugar enquanto uma das nossas principais atividades de lazer, influenciando cada vez mais o mundo profissional/empresarial.

Estimular a produtividade empresarial e a consciência e lealdade nas marcas

Não é de todo de espantar, portanto, que haja cada vez mais procura pelo poder dos jogos como forma de motivar ações em prol de uma atividade do mundo real, através do uso de elementos e técnicas de Game Design (criação de jogos). A isto chamamos Gamification (denominado de Ludificação na língua Portuguesa).

No entanto, para criar soluções de sucesso para empresas e marcas com técnicas de jogo, há que construir experiências que verdadeiramente cativem e retenham o utilizador.

A forma como abordamos Gamification Design impacta a experiência do utilizador, incentiva mudanças comportamentais, e muda a perceção de uma marca. Um conhecimento confiante em técnicas e teorias na criação de jogos podem fazer toda a diferença entre desenvolver uma solução standard e algo inovador.

Diferenças entre técnicas de Game Design e Gamification Design

Em Game Design, a experiência de jogo é rei. Para se conseguir este propósito, usamos estruturas narrativas, mecânicas de jogo, entre vários outros elementos, e trabalhamos as emoções e sensações que estes transmitem, tudo em prol de uma experiência de jogo que seja cativante, comunicativa e com significado.

Por outro lado, em Gamification Design, tradicionalmente, é dado mais destaque aos sistemas de recompensas que são sobrepostos às atividades da vida real do utilizador de forma a motiva-lo em direção a objetivos concretos. Esses sistemas são alimentados por métricas, fazendo delas uma parte integral na criação do núcleo que irá modelar toda a solução, ao contrário de Game Design, onde as métricas comportamentais não são por norma um elemento essencial na criação do jogo, sendo muitas vezes úteis apenas após o núcleo do projeto estar já completo.

Apesar destas diferenças, existem pontos em comum e valores que a Gamification tem a ganhar com o estudo e a experiência na criação de jogos.

Os jogos, tal como as soluções de Gamification, são desenhados com objetivos em mente, o que muda é a natureza do objetivo, mas os processos que ajudam a direcionar e a concretizar o objetivo mantêm-se válidos.

Práticas de interatividade para desenvolver a envolvência  

Por exemplo, em Game Design, se quiséssemos comunicar a um jogador que não podia fazer uma certa ação, como cavar com uma pá numa superfície metálica, criaríamos uma animação de embate da pá, faríamos tocar um som metálico, e até poderia se adicionar uma animação ao personagem representativa de frustração ou surpresa. Estes e outros elementos combinados, transmitem uma sensação cativante ao jogador e um pedaço de informação sem serem necessárias explicações. A isto chamamos a “resistência” do jogo, ou feedback.

Por outro lado, tradicionalmente, em Gamification Design são criadas muitas vezes soluções assentes apenas em estruturas de competitividade e recompensas (como medalhas), sem ter em conta a experiência do jogador e possíveis motivações intrínsecas às suas ações. Uma animação, um efeito visual, e outras características típicas dos videojogos são fundamentais para garantir uma solução de Gamification que seja apelativa e verdadeiramente motivadora.

Os utilizadores de soluções de Gamification são jogadores

Gamification pode ser mais orientada ao mundo do negócio, mas continua a fazer parte do mundo dos jogos. Os utilizadores são efetivamente jogadores, pois continuam a abordar esta solução com uma “atitude de jogo”. Continua a ser necessário dar feedback sobre as ações do jogador e a realizar sessões de teste para estudar a curva de aprendizagem, o nível de retenção, e o balanço dos sistemas, conseguido através da medição de diversos elementos, que são peças fundamentais que necessitam estar equilibradas de forma a garantir um produto que seja coeso, polido e aliciante.

Tornada óbvia a importância do conhecimento em Game Design para a sua solução de Gamification, já pensou como poderá criar experiências inovadoras para os “jogadores” da sua empresa?

Comentários

comentários

Artigos relacionados

Burlas em vendas online. Uso abusivo de dados de cartões de crédito. Phishing bancário. Criação de perfis falsos em redes sociais. Acessos ilegítimos a sistemas informáticos. Também os recentes ataques informáticos que ocorreram um pouco por todo o mundo confirmam que o cibercrime veio para ficar e será cada vez mais sofisticado, colocando este tema na agenda de governos, empresas e instituições.